Matheus Andreazzi, Estudante
  • Estudante

Matheus Andreazzi

Ariranha (SP)
5seguidores37seguindo
Entrar em contato

Sobre mim

Neoratio
Matheus é técnico em Serviços Jurídicos e Filósofo.

Recomendações

(18)
Luiz Teotony do Wally, Advogado
Luiz Teotony do Wally
Comentário · há 3 anos
Volto à questão sobre título de doutor, sem esgotar a matéria, e sobre tese.

A EXPRESSÃO DOUTOR É GÊNERO, PORQUE EXISTEM TRÊS ESPÉCIES DE TÍTULO DE DOUTOR, A SABER:

a) - título de Dr. Conferido aos advogados, desde da Roma antiga, passando pela Alta e Baixa Idade Médias; consta do direito canônico, base do direito contemporâneo no sistema romano germânico (que engloba o direito Francês, Alemão, Italiano, Português, brasileiro e de outros países de língua portuguesa). Para averiguar isso, basta ler na Bíblia, quando se refere aos doutores da leis, isto é, aos advogados das causas deicas, pois, não existiam outras causas. Ainda na Bíblia, cuida-se de dois grandes doutores da Igreja Católica, Santo Agostinho e São Thomaz de Aquino; quem cursou o antigo científico, que depois veio a ser segundo grau, e atualmente ensino médio, sabe que foram canonizados santos porque eram doutores, advogados das causas do catolicismo. A esse respeito, em Portugal, são Teotony, foi elevado à condição de santo, porque sabia ler, fato que o ungiu a Prior do Crato, Portugal. Portanto, o título de Dr. atribuído aos advogados é um título profissional sagrado pela tradição e pelas leis antigas, estribando à tradição , mesmo que se mude o conteúdo das leis, o direito é fundado na tradição, nos usos e costumes, além do direito natural.

b)- título de doutor honoris causa, que era concedido a quem defendesse uma causa sem ser douto legis, em Roma; atualmente é conferido por universidade, até para analfabeto (exemplo: o ex- presidente Lula, recebeu uns cinco títulos desse), para obtê-lo basta ser político, lato senso (não precisa defender nada). De modo que não precisa estudar qualquer quantidade de anos para receber esse título;

c)- título de doutor que se destina ao exercício do magistério superior, especificamente para a área de pesquisa, ao qual alude o autor, conferido por universidade , para obtê-lo, basta defender uma tese.

Assim, não precisa estudar para ser doutor, basta se envolver com política, que as universidades do Brasil e do mundo estão aí diplomando.

SOBRE TESE, VEJAM:

“TESE, PROPOSIÇÃO QUE SE APRESENTA OU EXPÕE PARA SER DEFENDIDA EM CASO DE CONTESTAÇÃO, ......PROPOSIÇÃO ASSUMIDA COMO PRINCIPIO TEÓRICO QUE FUNDAMENTA UMA DEMONSTRAÇÃO, ARGUMENTAÇÃO OU UM PROCESSO DISCURSIVO, O PRIMEIRO ESTÁGIO DO PROCESSO DIALÉTICO, SEGUIDO POR UMA ANTÍTESE NEGATIVA E UMA SÍNTESE FINAL DE AMBOS OS TERMOS,...”. Fonte, Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa, ed. Objetiva, Rio de Janeiro, 2009, primeira reimpressão, p.1836.

Pelo exposto supra, TESE é o mister diário do advogado, portanto, advogado é Doutor por excelência, mesmo ferindo pseudosaber de algumas pessoas.
Manoel Gomes M Neto
Manoel Gomes M Neto
Comentário · há 2 anos
Boa tarde a todos. Sinto-me muito à vontade para comentar pois não integro nenhum dos segmentos atingidos pela questão suscitada.

O Manual de Redação da Presidência da República (disponível em http://www.planalto.gov.br/CCIVIL_03/manual/manual.htm e http://www4.planalto.gov.br/centrodeestudos/assuntos/manual-de-redacao-da-presidencia-da-republica/manual-de-redacao.pdf), elaborado em atendimento ao Decreto nº 100.000, de 11/01/1991, e cuja 2º edição foi aprovada conforme a Portaria nº 91, de 4/12/2002, da Casa Civil da Presidência da República (Portaria http://www.planalto.gov.br/CCIVIL_03/Portaria/P91-02.htm) em seu subitem "2.1.3. Emprego dos Pronomes de Tratamento", folha 9 do Manual, trata desta questão da seguinte maneira:

"Acrescente-se que doutor não é forma de tratamento, e sim título acadêmico. Evite usá-lo indiscriminadamente. Como regra geral, empregue-o apenas em comunicações dirigidas a pessoas que tenham tal grau por terem concluído curso universitário de doutorado. É costume designar por doutor os bacharéis, especialmente os bacharéis em Direito e em Medicina. Nos demais casos, o tratamento Senhor confere a desejada formalidade às comunicações."

Depreende-se que o entendimento do Governo Federal sobre o assunto observa tanto a titulação acadêmica como o costume para atribuir o tratamento Doutor, deixando claro que, "nos demais casos" , o tratamento Senhor "confere a desejada formalidade às comunicações". O costume virou norma.

Quanto ao tratamento "Doutor" relacionado à titulação acadêmica, é de difícil aplicação prática no diaadia. Consideremos os Professores Doutores, por exemplo...em sala de aula são professores, e dificilmente o serão somente no ramo específico tratado em sua titulação...na prática o tratamento será "Professor Fulano" e não "Professor Doutor Fulano"...imagine os estudantes cumprimentando-o todos os dias: "bom dia, Professor Doutor fulano".

O Doutorado em si é um grau de titulação de extrema relevância para o desenvolvimento social, científico e tecnológico do País e para a trajetória profissional e acadêmica dos próprios titulados, mas penso não foi concebido para delimitação de uma casta precipuamente voltada à reserva do direito de utilizar esta denominação.

Perfis que segue

(37)
Carregando

Seguidores

(5)
Carregando

Tópicos de interesse

(23)
Carregando
Novo no Jusbrasil?
Ative gratuitamente seu perfil e junte-se a pessoas que querem entender seus direitos e deveres

ANÚNCIO PATROCINADO

Outros perfis como Matheus

Carregando

Matheus Andreazzi

Entrar em contato